O Ministério da Saúde anunciou o início da 36ª Campanha de Vacinação Contra a Poliomielite, que irá ocorrer entre os dias 15 a 31 de agosto. O objetivo é que 12,7 milhões de crianças com mais de 6 meses e menores de 5 anos sejam vacinadas contra a paralisia infantil.

Durante a apresentação da campanha, o ministro da Saúde, Arthur Chioro, ressaltou a importância de fortalecer o esquema de vacinação no Brasil como uma forma de contribuir para a erradicação da pólio no mundo: “Ainda não podemos falar em erradicação mundial porque há casos em alguns países da África e da Ásia. Mas é uma meta que nós vamos atingir mais cedo ou mais tarde. Por isso, não podemos permitir que crianças imunizadas convivam com outras sem a cobertura vacinal”, declarou. O último caso de poliomielite no Brasil foi registrado em 1990 e a última ocorrência endêmica na América, ou seja, que não depende de uma contaminação externa, aconteceu no Peru em 1991. Três anos depois, a Organização Mundial da Saúde (OMS) declarou que a pólio estava erradicada nas Américas, a primeira região do mundo a conseguir tal feito. Mesmo assim, o ministro ressaltou que “não podemos dar a luta como vencida”.

Para evitar que a doença volte a aparecer, é imprescindível que o país mantenha bons índices de vacinação porque, quanto maior é o número de pessoas imunizadas, menores são as possibilidades de circulação do vírus. “Além de protegermos individualmente as crianças, quando vacinamos maciçamente a população criamos uma imunidade de grupo, garantindo proteção até a quem não está vacinado. É o que chamamos de imunidade de rebanho”, explicou a coordenadora Coordenadora Geral do Programa Nacional de Imunização, Carla Magda Allan Santos Domingues

Vacina contra a poliomielite:
A vacina utilizada na campanha é a trivalente, que protege contra os três tipos de poliovírus (1, 2 e 3) e será tomada por via oral, a famosa gotinha.  Por isso, o grande esforço é para que as famílias compareçam ao posto de saúde neste sábado, 15, considerado o dia D da campanha.

Durante a campanha de vacinação contra a pólio, serão mobilizados mais de 100 mil postos de saúde em todo território nacional, que também oferecerão as demais vacinas que compõem o calendário básico da criança. Assim, fica mais fácil regularizar a imunização das crianças. A vacina de pólio é considerada segura e sua eficácia está em torno de 90% a 95%. A estimativa, segundo o Ministério, é que até o dia 31 de agosto pelo menos 12 milhões de crianças, o que representa 95% da meta, sejam imunizadas.