Estima-se que 10% dos nascimentos são prematuros, isso significa que antes da 37ª semana de gravidez, e não entre a 37 e a 42ª, que geralmente é normal. Quanto mais prematuro o bebê, maiores serão os riscos de saúde, pois o seu corpo ainda não este desenvolvido por completo. De qualquer maneira, não fique assustado. Neste momento temos muito progresso a fim de evitar complicações graves e permitir que o bebê e a mãe possam ter uma vida normal.

Por isso, a coisa mais importante que deve ser feita caso você suspeite que o trabalho de parto se aproxime é ir ao hospital o mais rápido possível, pois no local serão feitos vários testes e caso exista risco de parto prematuro, a gestante deve ficar em total repouso. Caso seja possível, os médicos atrasar o trabalho de parto ou tomar medidas para diminuir as consequências.

Quais os sintomas que indicam o trabalho de parto prematuro?
– Contrações por mais de uma hora que ocorram a cada 10 minutos ou até mesmo mais frequente;
– Alterações na secreção vaginal, tais como vazamento de fluido ou sangramento;
– Dor na parte inferior das costas, semelhante às dores menstruais, pressão pélvica e cãibras.

Como evitar o trabalho de parto prematuro?
É muito difícil evitar o parto prematuro, pois podem existir outras causas como malformações uterinas, infecções ou ruptura prematura de membranas que pode permitir que ocorra o parto prematuro. Apesar disso, alguns fatores da vida podem favorecer o trabalho de parto prematuro, por isso, pode ser controlada. De modo geral, as recomendações são as mesmas que ocorrem durante a gestação: evite o álcool e fumar, não passe muitas horas em pé, faça todo o pré natal e tenha uma gestação tranquila e sem estresses.