O pós-parto é uma grande incógnita para muitas mulheres que estão próximas a vivenciá-lo, pois de repente, depois de nove meses de preparação árdua para o parto e muitas não sabem como agir. Por isso, resolvemos fazer uma listinha com alguns mitos e verdades que ocorrem nesse período.

Depois de uma cesariana é necessário esperar finalizá-la para amamentar?
Mito! A cesariana não altera a composição do leite, mas como tem um processo de finalização mais demorado que no parto normal. A mulher só irá amamentar o seu bebê quando sair da cesariana.

Por isso, é importante para iniciar a amamentação o mais rapidamente possível (embora em alguns hospitais são contra, pois preferem que a mãe descanse). Após cesárea, amamentação tem mais benefícios, tanto para a mulher (o útero recuperado antes de seu tamanho) para o bebê (que se sentem confortável no peito). É bastante útil colocar uma almofada na barriga para apoiar a criança e, assim, evitar que o bebê esfregue a cicatriz com os pés.

O uso da cinta logo após ter dado a luz ajuda a evitar a sobrecarregar as costas e membros inferiores?
Depende! Como o objetivo do uso da cinta no pós-parto é evitar a sobrecarga da região inferir e das costas, permitindo dessa forma uma recuperação mais rápida. Mas vale salientar que o uso da cinta é mais eficiente quando a mulher realizou durante a gestação (entre seis ou oito semanas antes do parto) exercícios de fortalecimento do períneo.

Como durante os primeiros dias após o parto é palpável acima do osso púbico o útero, a única coisa que a cinta irá fazer é comprimir a cavidade abdominal.

Lembre-se de que algumas cintas podem dificultar a cicatrização caso tenha passado por uma episiotomia. E se por acaso o parto foi por cesariana não deve utilizar a cinta até a total cicatrização.

Você não pode aplicar cremes nos seios quando você está amamentando?
Mito! Atualmente, qualquer anti-stretch ou cuidado materno específico que é vendido sem prescrição como um creme de beleza o produto é inofensivo o suficiente, ou seja, não produzirá qualquer dano em lactentes.

Também pode acontecer que, se a mãe passou uma grande quantidade de creme nos seios, os lábios da criança deslizem mais facilmente e sinta dificuldades para mamar. Por estas duas razões, recomendamos não aplicar os cremes nos mamilo ou nas aréolas.

As mulheres que produzem muito leite terão febre e desconforto?
Mito! A mulher que tem uma grande produção de leite não sofrerá por febre devido a esse motivo e nem outros sintomas de desconforto. Normalmente, estes problemas só aparecem quando a criança não tem sugado bem leite e ocorre o acumulou de forma anormal no peito.

É importante para expelir gáses no pós-parto, sem recorrer a drogas?
Verdade! Após o parto, muitas vezes a mulher terá muitos gases, em especial no caso da cesariana, porque a atividade do intestino pode ser paralisada pela anestesia.

É aconselhável expulsá-los naturalmente, sem recorrer a drogas, uma vez que o uso de certas drogas relaxantes que aliviar o inchaço pode impedir o intestino começar a trabalhar normalmente. Felizmente, eles são transtorno temporário a que se refere e acabam quando atividade intestinal é reiniciada.

A mãe pode produzir leite de má qualidade e fazer com que o bebê não ganhe peso?
Mito!
A composição do leite está muda ao longo da amamentação, na primeira etapa o leite é mais ralo, em seguida ele se torna mais gorduroso. Se o bebê apenas se alimenta do leite da primeira fase e não chega a concluir a mamada, talvez a composição geral do leite não irá corresponder ao necessário para o bebê.

Lembrando que isso não é um problema da mãe ou o peito, mas sim da técnica de amamentação, porque o bebê pode está mal posicionado ou porque você removeu os dez minutos para mudar para o outro seio e não é permitido para terminar. Você tem que deixar sugar tudo que você precisa de cada mama.

A cicatriz da cesariana incomoda mais nos três dias após o nascimento?
Verdade! 72 horas após a cesariana ou ter passado pela episiotomia, a mulher começa a ter a sensação que a cicatriz começa a melhorar, diminuindo a dor e o incômodo. Depois desse período o processo cicatricial deixa de ser chato.