O parto normal é o momento final da gravidez, por isso, essa fase é também conhecida como “trabalho de parto” – TP. A mulher entra nesse momento quando as contrações uterinas ocorrem em intervalos regulares e com a intensidade capaz de permitir a dilatação do colo uterino.

Como as contrações uterinas são fundamentais para a dilatação do colo uterino e o tempo de trabalho de parto. Ela é divindade em duas fases:

1º Fase – Latente:
Essa primeira fase pode durar de 12 a 20 horas, nesse período as contrações são irregulares e pouco intensas. Muitas gestantes referem a essa momento que a barriga fica dura, mas tem ausência de dor. Durante sua progressão a dilatação do colo inferior do útero é de apenas 1 cm por hora. À medida que o colo perde a sua rigidez e se torna amolecido, as contrações sobre as fibras musculares pressionam a cabeça do bebê para baixo.

2º Fase – Fase ativa:
A fase ativa também chamada de “final do trabalho de parto” é quando através do toque vaginal o obstetra já verifica que a gestante possui  4 cm de dilatação e tem uma média de 3 a 5 contrações que duram entre 20 a 60 segundos.  À medida que as contrações diminuem o tempo de pausa e a dilatação chega aos 10 cm até a fase de expulsão a gestante passou de 6 ah 12 horas de parto. O momento explosivo do bebê não passa de 30 minutos a 1 hora.

É também na fase ativa que as contrações são bastante dolorosa e prolongadas, quando comparadas a primeira fase do trabalho de parto. O momento final do parto é quando ocorre a saída da placenta, que tem duração média de 5 a 30 minutos após o nascimento do bebê.

Tempo de trabalho de parto:
As mulheres que já passaram pelo parto normal (multíparas) tem redução significativa no tempo do trabalho de parto quando são comparados pelas que nunca pariram (nulíparas). As multíparas levam média de 8 a 9 horas e as nulíparas de 12 a 14 horas de trabalho de parto.