Durante a gravidez a gestante passa por diversas mudanças hormonais, que geram inúmeros sintomas, como os enjoos durante os primeiros meses de gestação. Mas também acaba favorecendo para o surgimento de manchas na pele, que também são conhecidas como melasma, manchinhas que são causadas pelo melanócito, que da cor a pele.

Os melanícitos são células de defesa que acabam causando manchas para proteger a pele dos raios ultravioleta. Como durante a gravidez os cosméticos para o tratamento da pele com melasma é proibido, boa parte dos ácidos que ajudam a clarear a pele acabam sendo perigosos para o desenvolvimento do bebê e até mesmo durante a amamentação. Por isso, o maior aliado nessa fase é o bloqueador solar, que seja indicado para gestantes.

Após o desmame você pode dar início ao tratamento estético, sendo que em muitos casos as manchas passam a desaparecer com o tempo. Sendo que em alguns casos será necessário um pouco mais de cuidados e o tratamento também terá que ser por via oral para equilibrar os hormônios. Esses ajustes hormonais podem também ser manipulados em cremes pelo dermatologista.

Também existe outros tratamentos estéticos que podem amenizar o surgimento do melasma. Um deles são as injeções que contem substâncias que clareiam a pele, como o ácido tranexâmico. Fazer também peelings químicos com produtos clareadores podem também ser uma alternativa para acabar com o melasma.

Outro tratamento que pode ser utilizado para remover as manchas ocasionadas pelo melasma é o dermatocopia digita de alta resolução com luz polarizada. Que além de investigar melhor o melasma age de forma profunda, essa opção é indicada nos casos da necessidade de tratamento com uso do laser.