Amamentar o bebê ou optar pela fórmula (leite artificial) para é uma das grandes dúvidas para as mulheres grávidas. No entanto, a opinião dos especialistas não tem dúvida alguma, pois o que é recomendado para os bebês é a amamentação. Diversos estudos comprovam que o melhor alimento para o recém nascido é o leite materno, especialmente durante os seis primeiros meses de vida.

Como alimentar o bebê durante os primeiros seis meses?

A amamentação não é só aconselhável para a qualidade do leite materno, ele é como ouro líquido para o bebê, é um alimento estéril disponível de forma permanente e que proporciona munoglobulinas (defesas) que melhora a imunidade do bebê, que defende o seu organismo contra as infecções e os leucócitos que o protege das doenças infecciosas intestinais. Além disso, o leite materno evita as alergias e intolerâncias alimentares, ele também contém todos os nutrientes e anticorpos que seu bebê precisa para crescer forte e saudável, mas a amamentação abre um período de grande comunicação e carinho com o bebê, que na realidade é um dos recursos mais valiosos no sentido emocional.

Como o período de licença maternidade dura cerca de seis meses, o aleitamento materno consegue ser bastante eficaz para o bebê. Após esse período e a volta da mãe ao trabalho a mulher pode aderir à fórmula, que fornecem de forma eficiente os nutrientes ao bebê com a ausência do leite. No entanto, apesar das vantagens da amamentação, isso não significa que a mamadeira não seja positiva para a mãe e o bebê, quando existem problemas e que torne impossível amamentar o bebê. Hoje existem fórmulas que podem fornecer tudo que o bebê precisa para desenvolver de forma saudável.