Durante a gravidez ficar atenta a saúde é fundamental. Pois durante a gravidez a mulher acaba podendo ficar predisposta a sofrer complicações. Entre tantos problemas que podem ocorrer, vamos focar nesse post sobre a diabetes gestacional, que ocorre com maior frequência após o segundo trimestre da gravidez. Como ela é uma doença que geralmente não apresenta sintomas específicos e que por muitas vezes é confundida pela gestantes ao final da gravidez com o inchaço e ganho de peso.

E como descobrir o problema?Diabetes gestacional pode causar parto prematuro 01Algumas mulheres terão mais predisposição a terem a doença do que outras gestantes, principalmente nos casos de uma gestação tardia. Para descobrir se existe algum problema será necessário fazer o teste do açúcar no sangue. Que se por acaso houver alterações (apresentar níveis acima de 95mg/dl em jejum). Ou se a paciente possui histórico de diabetes na família ou na gravidez é preciso ficar em alerta.

Se você começar observar que está engordando de mais e percebendo inchaço nas extremidades maior que o habitual. Se a pressão sanguínea também apresentar elevada. Durante a ultrassonografia, o médico que acompanha sua gestação pode observar alguns sinas como o bebê aumentar muito de tamanho e o pese e que o volume do líquido amniótico também esteja elevado.

Consequências da diabetes gestacional:
Após o nascimento do bebê os níveis de glicose no sangue da gestante que se encontrava elevada irá desaparecer. Mas o bebê poderá sofrer consequências caso ela não seja tratada durante a gravidez, como por exemplo, sofrer um parto prematuro, desenvolver síndrome da angústia respiratória, doenças cardíacas, obesidade na infância ou adolescência e icterícia.

Como diagnosticar e qual tratamento seguir:
A diabetes gestacional poderá ser descoberta através de exames como a glicemia em jejum, hemoglobina glicada ou através da curva glicêmica, exames que deve ser indicado pelo médico que acompanha sua gestação. Caso seja positivo, o médico fará avaliações periódicas e mais detalhas.

Durante essa fase será de extrema importância a gestante fazer algumas mudanças nos seus hábitos, como por exemplo, ter uma alimentação mais saudável e praticar exercícios, que ajudem a controlar os níveis de glicose no sangue e no funcionamento da insulina. Como cada caso é bastante particular e em alguns deles é necessário a internação da gestante para controlar o açúcar no sangue e monitorar o desenvolvimento do bebê.