O aborto espontâneo pode ocorrer a qualquer gestante, mas o risco maior ocorre em algumas faixas etárias. De modo geral, cerca de 15% das mulheres grávidas acabam sofrendo um aborto espontâneo, sendo que as mulheres de até 30 anos, esse percentual é de apenas 10% casos. Por isso, à medida que a mulher vai ficando com mais idade o percentual de aborto aumenta. As mulheres com faixa etária de 40 aos 44 esse percentual sobem de 20% a 25%.

Como a maioria dos casos de abortos espontâneos estão diretamente relacionados a mal formação do bebê (cerca de 60% dos casos). Outro problema que pode levar ao aborto é também conhecida como trombofilia, que está relacionada às alterações na coagulação sanguínea, causando um problema na imunidade da gestante. Além dessa doença, a diabetes e a hipertensão quando não controlada na gestação podem causar um defeito congênito no útero, apesar de ocorrem com menos frequência, também estão associados ao aborto espontâneo.

Como se prevenir um aborto espontâneo?
A melhor maneira de prevenir o aborto espontâneo ter uma gestação planejada. Dessa forma a gestante irá controlar tudo que ocorre em seu corpo e deixará o seu organismo equilibrado para que o desenvolvimento do bebê ocorra da melhor maneira possível. Mas caso a gestação não seja planejada, será necessário tomar algumas atitudes, como tomar ácido fólico, fazer o pré-natal corretamente, tomar antioxidantes e realizar todos os exames e orientações do médico que acompanha sua gravidez.

Caso você já tenha sofrido um aborto espontâneo, é de extrema importância fazer todos os exames que o seu médico passo. Dessa forma você irá ajudar o seu corpo a se recuperar mais rapidamente e em pouco mais de um mês e meio poderá tentar novamente outra gravidez.