Os nossos queridos chás pode até parecer inofensivo, mas durante a gravidez eles podem ser bastante perigosos para os bebês e as gestantes. Por isso, fica o alerta para as futuras mamães evitar o uso dessas ervas naturais.

Muitos chás que são até bem populares entram para a listinha de contra indicados, veja a seguir quais os riscos do consumo dessas ervas naturais e quais são os chás que não são recomendados para o consumo durante a gravidez:

Quais os riscos em consumir as ervas naturais e chás?
Alguns chás e ervas natural podem causar sérios problemas de intoxicações, como também provocar o aborto ou diminuir a produção de leite da gestante. Por isso, a futura mamãe deve consumir de forma moderada os chás e ervas naturais.

Quais os chás que não são recomendados?
Chá de canela:
O consumo do chá de canela não é recomendado durante a gravidez, pois ele provoca contrações musculares no útero, constrição sanguínea e pode provocar o aborto devido a sua ação no útero materno.
Chá de hortelã: O chá de hortelã deve ser evitado pela gestante, mas principalmente durante a amamentação, pois o seu consumo irá permitir que ocorra a diminuição na produção do leite.
Chá Mate, branco ou preto: O consumo desses chás faz com que o corpo acelere o metabolismo e nas gestantes ele pode provocar a sensação de mal estar.
Chá de boldo: O chá de boldo é conhecido por aliviar problemas gástricos, mas durante a gravidez ele pode provocar abortos nas gestantes.
Chás abortivos: Alguns chás devem ser evitados pelas gestantes devido ao mal que faz ao desenvolvimento do bebê e por provocar o aborto. Os chás como o de arruda, erva-de-bicho, cipó-mil-homens, confrei, buchinha do norte, espirradeira, erva-de-santa-maira e melão-de-são-caetano. Não devem ser consumidas em nenhuma hipótese.